, , ,

Desejo de mulher


Mas o que me é fatal, poucos sabem: todos os dedos que vão do ócio ao cio. E reluzem,
induzem, descabem de duas pernas abertas. São viagens e folhas, pele jogada à inexatidão do sexo.

Sem fórmulas.

Tão menino.

Ninho de pássaros vermelhos. Esconder não se faz intenção. Descaibo da ereção dele. Fatale sou. Lua de rua, nua, que outros não enxergam. Perna com renda. Photopecado. Tão Forte que eu poderia morrer de sentir.

Não morro. Sinto.

Desejo puro em paredes molhadas. Gozadas de olhar. Beco físico, chão de pele. Não queremos fugir.

Dar para [me] salvar.
[ele] comer para não desquerer.

Permanecer, onde nenhum copo transbordou.


Loouyse XLI

2 comentários:

  1. Erica de Paula...escrita ponteada de labirintos e lugares celestiais. Nem sempre, nem nunca...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. madagascar2013

      Érica de Paula percorre caminhos mágicos com seu olhar feminino de quem presente e sente tudo, Érica vai além, bem mais, até alcançar seu objetivo.

      Bjs

      Excluir


Obrigada por chegar até aqui. Seu comentário será valioso para que eu receba através dele, a sua opinião, prova da nossa interação.

Este espaço aborda o erotismo e assuntos relacionados com a sexualidade, mas, não explora a pornografia.

Comentários ofensivos, discriminatórios e preconceituosos serão deletados, aqui prevalece a ética e o bom senso dos leitores.
Um beijo