, ,

Transa em maré alta



Estávamos a poucos metros um do outro numa barraca na praia onde eu saboreava água de côco geladíssima com Redbull quando dei de encontro com um penetrante olhar cor de mel que me buscava meio a um sorriso insinuante no canto da boca com teor de malícia,  que senti um choque delicioso refletido entre minhas pernas o que me fez juntá-las involuntariamente como se quisesse segurar aquela deliciosa sensação e imaginei que estavámos muito mais próximos do que qualquer espaço físico, aliás, não poderia haver nenhuma distância entre nós aquecidos por aquele sol luminoso vindo de um céu incomparavelmente azul e ainda agravado pela teimosia dos nossos olhares impossíveis de conter.
A música ambiental além do rumor do mar,  ouvia-se Alceu Valença cantando uma música cuja poesia compara a mulher com frutas deliciosas para degustação num ritmo contagiante e sua aproximação trazendo um beijo guloso foi consequência. Aqueles olhos vieram de Natal-RN. Estava em férias de seu estágio após concluir a faculdade e nós dois ali agora frente a frente com todo tempo livre.

A tarde já caía e um pôr do sol mágico nos induzia ao delicioso pecado da luxúria. Um suave perfume pairava entre nós vindo talvez do filtro solar que usávamos (?). Estávamos dentro do mar e nossas silhuetas à contra luz não obscureciam nossos gestos de carinho e tesão. Mas a expressão dos nossos olhares faiscantes somente eram vistos entre o afastamento dos nossos rostos entre as pausas dos beijos.
A praia foi ficando deserta, mas, não havia o que temer se permanecêssemos ali por mais algum tempo e saindo da água fomos andando pela orla até encontrar um cantinho mais ou menos acolhedor entre as pedras e, apesar da maré estar subindo muito lentamente, ele calculou que não haveria perigo no local onde estávamos e nada mais era tão urgente senão o desejo de nos entregar loucamente àquele momento atrás daquelas enormes pedras que formavam nosso esconderijo. Ele foi aos poucos afastando o sutiã do meu biquini, beijando mamando meus peitos como um filhote faminto, suas mãos desciam a parte de baixo buscando minha buceta quente e inchada de ardor enquanto sussurrava obscenidades me fazendo queimar cada vez mais. Era um deus na siririca e fui me deixando levar enquanto apalpava e apertava firmemente entre minha mão seu pau pulsante. Não era um grande cacete mas, grosso, do jeito que gosto deixando-me preenchida e tarada.


Logo a seguir ele virou-me de costas e com minhas mãos apoiadas numa pedra,  me preparei com muita vontade para ser comida por ele que começou a roçar insistentemente a cabeça do seu caralho rumo a entrada de minha grutinha sedenta enquanto continuava no mesmo ritmo a massagear meu clitóris e foi forçando a entrada que facilitei arrebitando mais a bunda e afastando minhas pernas. Na sua primeira estocada senti como se estivesse sendo arrombada, rasgada buceta a dentro. Dei um grito, mas, um grito de dor e prazer, me veio uma vontade louca e desgovernada de transbordar em gozo que não me contive, enquanto ele continuava no mesmo ritmo não largando meu clitóris me socando com seu pintão grosso e a seguir arrastou-me até a areia fina e macia antes forrada com uma toalha de praia.
.
Aquele macho tesudo, cheiroso e suado gemia tremulo e parecia gozar direto de pau dentro e sem pausa. O tempo que corria não nos inquietava, era como se todos os minutos pertencessem somente a nós dois e o que nos alertou foi que a maré começou a subir repentinamente e tínhamos que sair dali urgentemente de entre aquelas pedras que, pelo fator causal mais pareciam perigosos labirintos, e, com a água subindo pelos tornozelos fizemos uma corrida apressada até alcançarmos a segurança da praia entre as barracas de palha e de lá rumamos à um animado barzinho para um drink e petiscos.

A noite fechou e com ela nos despedimos trocando telefones e beijos enquanto ele me disse: "até amanhã minha doce fruta, te quero, e esse querer me abre o apetite"


Amanha... bem amanhã será outro dia e quando ele amanhece sou novamente uma faminta.

Amante

Um comentário:

  1. LINDA AVENTURA. O SOM DAS ONDAS TORNA O SEXO MAIS ROMANTICO, DEIXANDO ESSES INESQUECIVEIS MOMENTOS PARA SEMPRE GRAVADOS NA MEMÓRIA.

    ResponderExcluir


Obrigada por chegar até aqui. Seu comentário será valioso para que eu receba através dele, a sua opinião, prova da nossa interação.

Este espaço aborda o erotismo e assuntos relacionados com a sexualidade, mas, não explora a pornografia.

Comentários ofensivos, discriminatórios e preconceituosos serão deletados, aqui prevalece a ética e o bom senso dos leitores.
Um beijo