,

O sexo das libélulas

De longe, os rituais de acasalamento das libélulas parecem inofensivos e até mesmo românticos. No entanto, um exame meticuloso desses jogos reprodutivos revela uma história bem mais violenta, marcada pelo assédio e o conflito sexuais. Um exemplo é a Calopteryx splendens. Alguns machos nem se preocupam em cortejar a fêmea, e simplesmente arremetem contra aquelas mais incautas que se distraem enquanto se aquecem ao Sol – até mesmo as imaturas, ainda reluzentes da recém-terminada fase larval. Outros, conhecidos como “aproveitadores”, separam machos e fêmeas em processo de acasalamento, por meio de pancadas, safanões e mordidas; e há os “espreitadores aquáticos”, que agarram as fêmeas enquanto estas pôem seus ovos, engatando-se de tal modo que muitas vezes elas morrem afogadas. As fêmeas, por sua vez, procuram escapar dessas atitudes pouco galantes revirando-se, voando em ziguezague, subindo ou descendo em espiral, mergulhando, fugindo em alta velocidade ou mesmo revidando, às vezes de forma letal.
Qual o motivo dessa animosidade entre os sexos? Cientistas em busca de indícios descobriram, entre as libélulas, uma bizarra mescla de cooperação e conflito, instinto e experiência. Isso poderia explicar não só os estranhos hábitos reprodutivos desses insetos mas também a assombrosa diversidade de cores e espécies.


Trecho de Libidinosas libélulas - National Geographic

Um comentário:

  1. uma bizarra mescla de cooperação e conflito.

    ResponderExcluir


Obrigada por chegar até aqui. Seu comentário será valioso para que eu receba através dele, a sua opinião, prova da nossa interação.

Este espaço aborda o erotismo e assuntos relacionados com a sexualidade, mas, não explora a pornografia.

Comentários ofensivos, discriminatórios e preconceituosos serão deletados, aqui prevalece a ética e o bom senso dos leitores.
Um beijo