Justiça condena casal por sexo barulhento


Gravações de áudio “enérgeticas” de um casal fazendo sexo foram usadas para os vizinhos incomodados convencerem a Justiça que tinham razão em reclamar. Os magistrados de Sunderland, na Inglaterra, ouviram as gravações com sons de Caroline e Steve Cartwright para então multá-los em cerca de R$ 650 por perturbar a ordem (o casal ainda terá de pagar mais R$ 970 com as despesas de processo).

Sexo barulhento do casal Caroline e Steve Cartwright incomoda os vizinhos.

Caroline, a mais barulhenta, foi considerada culpada por descumprir uma notificação enviada após a polícia local receber 25 reclamações sobre suas “maratonas” sexuais com o marido. A mulher de 47 anos deve ainda receber uma ordem de comportamento anti-social (Asbo, na sigla em inglês), com proibições que ainda serão definidas pela Justiça.

Quando as reclamações começaram, uma organização de saúde ambiental colocou um equipamento de gravação no apartamento vizinho ao do casal. Rachel O’Connor, a vizinha, apertava um botão para realizar gravações sempre que se sentia incomodada pelo barulho.
“Eu ouvia barulhos sexuais muito altos. Havia muitos gemidos e gritos, como se alguém estivesse sentindo dor. Não era apenas da mulher, mas dos dois”, contou à publicação “The Sun”. Quando Rachel se mudou para o local, em novembro de 2007, ela costumava ouvir o barulho por volta das 3h. Depois, afirmou, a “prática” foi transferida para as 6h30, podendo durar até 9h.
Reclamações

Anne Dimmock, que aluga o apartamento para Rachel, disse ter problemas para manter os inquilinos por causa do barulho. “É perturbador, um sexo muito barulhento. A princípio, achei que se tratava de violência doméstica”, contou a proprietária, que tem um escritório embaixo do apartamento do casal. Anne afirmou que realiza reuniões de negócio na cozinha, para evitar constrangimento entre os clientes e os funcionários.

Melanie Smith, sócia de Anne Dimmock, tem um filho recém-nascido e saiu do apartamento de baixo do casal, porque não aguentava mais. Já Margery Ball, parcialmente surda, afirmou não ter uma noite decente de sono em dois anos, por conta dos vizinhos barulhentos.

À Justiça, Caroline afirmou: “não faço barulho de propósito. Não tenho a intenção de machucar ninguém ou destruir qualquer propriedade”. Peter Lowthian, seu advogado, alega que a cliente também se incomoda com o barulho da TV e da digitação do computador dos vizinhos.

Fonte: [planeta bizarro] GI
.

"Quem não deseja um homem como o marido da inglesa do berro sexual de 50 decibéis?"


3 comentários:

  1. Inveja é uma merda....

    Beijossssss


    HOT SPOT NO MSN:

    hotspotonline@hotmail.com

    ResponderExcluir
  2. Anônimo11:47:00

    Mas que raio de país é este?! Isto contado ninguém acredita...

    Estou sem palavras

    Foxos

    http://deolhosbemfechados-foxos.blogspot.com/

    ResponderExcluir


Obrigada por chegar até aqui. Seu comentário será valioso para que eu receba através dele, a sua opinião, prova da nossa interação.

Este espaço aborda o erotismo e assuntos relacionados com a sexualidade, mas, não explora a pornografia.

Comentários ofensivos, discriminatórios e preconceituosos serão deletados, aqui prevalece a ética e o bom senso dos leitores.
Um beijo