, , ,

Meu primeiro anal

Como sempre ali estava eu ansiosa com um grande desejo por ele. Nunca sabia o dia de sua volta, mas eu o esperava com toda aquela sua energia que me abalava por completo nos eixos. Não havia cobranças, éramos livres... livres e confiantes de novos encontros plenos, mesmo porque ele sempre chegava antes que minha tesão explodisse. Ele já me conhecia muito bem e sabia que eu não aguentava ficar mais que dois dias sem sexo.
Sempre o esperava para cair nos seus braços gratificada por tantos momentos de tesão e gozos realizados que minha xana já sentia um choque, ardendo e me molhava entre as pernas.
Há muito ele insinuava desejo de fazer comigo sexo anal, mas, eu estava sempre adiando, porém, com uma cara safada de promessa de que um dia isso iria acontecer. Aos poucos essa idéia foi amadurecendo na minha cabeça.
E naquela noite eu estava decidida a ter novos prazeres com meu homem. Sim, chegou o dia e a hora, eu estava com vontade mesmo, estava tarada e só pensava em sexo em gozar e naquela noite se não fosse com ele eu já estava prontinha para matar meu desejo seja lá como for. É nesses momentos que começo a me masturbar, principalmente se eu pegar o meu "bullet" nada me segura de gozar até a exaustão.
Estávamos no sofá e começamos num agarro louco, sem freios, exageradamente excitados fazendo um 69 para lá de contorcionista, sua boca me percorrendo, mãos e dedos por todo nosso corpo, ahh meu macho, você sabe bem dos meus caminhos!
Humm...... aimmm meu bem meu tesão, hoje estou pra tudo.
Tudo?
Sim, fazer coisas diferentes, experimentar...

oral anal-lambendo o cuzinho gostoso_dando o rabo
.
Imediatamente ele começou a lamber e a chupar meu cuzinho virgem, lambuzando com sua saliva ao mesmo em que desviava para meu clitóris e sua língua parecia um vibrador tamanha velocidade com que ele teimosamente a manejava. Vou as alturas quando ele me faz assim. Enterrou a cara no meio da minha bunda e com a ponta da língua foi direto no meu buraquinho e eu gostava muito, por isso sabia que já era hora de provar desse lado do sexo e fiquei toda empinada, oferecida, querendo. Ele veio pronto com o cacete armado, pedi para que eu ficasse de lado, tive medo que doesse muito se fosse de quatro mesmo porque dessa forma eu poderia controlar. Na minha cabeceira havia um pote de creme hidratante que ele reconheceu, pegou uma generosa porção, besuntou meu cuzinho ao mesmo tempo em que enfiava o dedo, passou também na grossa e grande cabeça de sua rola enquanto eu me perguntava se aguentaria todo esse volume dentro de mim. Não, não vai entrar, pensei.
Foi chegando com o pau esfregando no meu cu e começou a forçar minha entrada. Senti um pouco de dor e sugeri que eu mesma fosse encaixando o bumbum conforme o meu grau de sensibilidade.
Ele acelerou o movimento no meu clitóris, minha buceta estava extremamente molhada, encharcada com o inicio da penetração e notei que ela molhava de acordo como ele ia metendo dentro de mim, mesmo sentindo uma dorzinha gostosa. Pode isso? É... a dor deu lugar ao prazer.
Pouco depois percebi que ele estava quase que completamente dentro do meu rabinho e então falei que tomasse as rédeas no movimento. Queria muito sentir aquela dança do seu corpo e o palpitar do seu cacete que aos poucos foi enterrando e sumindo na minha bunda quando percebi que eu estava totalmente arrebitada para ele, pois era na verdade muito prazerosa essa situação.
.
primeiro anal_dando o cu virgem e  gostoso
´
E meu delicioso macho estava completamente engatado em mim e... de ré. Eu acabava de me fazer totalmente dele, nossos movimentos se tornaram num só vai e vem simultâneo com sussurros e gemidos de tesão e prazer.
Eu estava adorando ser enrabada, rebolava e pedia mais: vem, vem minha delicia, mais, mais mete, come meu cu, assim delíciaaa e seus dedos continuavam firmes massageando meu grelinho que estava inchado e duro. Minha buceta melava abundantemente, eu queria gozar daquela nova forma, ele viu que eu estava próxima... minha buceta e o cuzinho contraiam e já estava quase a cortar sua pica. Continuando as estocadas ele gemia, suava, me chamava de sua cachorra, safada, tarada minha fêmea, putinha piranha, cuzinho gostoso, delicinha minha e mais coisas que nem me lembro, até que eu gozei e ele ali seguro, teso, continuou gostoso até chegar o seu momento. Meu homem não gemeu. Ele gritou o seu gozo que foi mais prolongado do que o habitual.
Depois ficamos silenciosos, eu estava pregada de suor e com a boca seca. Ele continuou dentro até que seu pau ficasse mole e pudesse retira-lo. Senti que meu cu doía e ardia e eu estava cheia de sua porra. Talvez fosse necessário passar alguma pomada nos próximos dias.

Pergunta se eu gostei?

E... foi assim o meu primeiro anal com aquele homem que sabia muito das coisas, ainda bem, porque o prazer de um anal vai muito do percurso que ele faz até chegar na porta de entrada.

Amante


15 comentários:

  1. tenho quase certeza!!


    rsrs

    bjs meus

    ResponderExcluir
  2. Delicia de relato, não tem como não ficar exicitado imaginando a cena.
    Bjos...

    ResponderExcluir
  3. Anônimo00:43:00

    me deixou de buceta molhada!!!
    Que tesão

    ResponderExcluir
  4. Nada como dar o cuzinho bem gostoso...
    Adoramos...
    A tendência amore é ficar cada vez mais gostoso e querer dar cada da mais hihi

    Doces e molhados beijos nossos.
    Rubra e Zé

    ResponderExcluir
  5. Nada como comer um cuzinho bem gostoso!!!
    É prova de intimidade impressionante entre o casal!!!

    ResponderExcluir
  6. SEX IS MY LIFE
    Muito bom quando há um bom preparo e na hora certa para ambos.

    ResponderExcluir
  7. Anônimo12:33:00

    adorei esse relato pq é bem parecido c/minha 1ª vez;hoje faço com maior prazer,p/mim relaçao anal é o q leva o casal ao extase,tipo uma chave fechando o ato

    ResponderExcluir
  8. Anônimo04:48:00

    porno

    Here is my web blog: sex

    ResponderExcluir
  9. Anônimo05:50:00

    Excellent post. I was checking continuously this blog and I'm impressed! Very useful information specifically the last part :) I care for such information a lot. I was seeking this particular info for a long time. Thank you and best of luck.

    My website - adult

    ResponderExcluir
  10. Um casal anónimo15:03:00

    Durante vários meses resisti ao desejo do meu marido de fazer sexo anal comigo, pois além de ser considerado um tabú para a maioria de sociedade existia ainda o receio de provocar mais dores do que quando da primeira penetração vaginal. Foi o meu marido que leu o vosso relato e me mostrou para eu ler também. Na verdade fiquei com curiosidade de exprimentar e então, num momento de grande excitação disse-lhe que aceitava essa experiência, mas para êle proceder tal como o seu macho fez para eu ficar também mais entesuada. Na verdade os preliminares foram maravilhosos, nunca tinha sentido uma lingua no cusinho enquanto era acareciada no clitóris, aplicou bastante vaselina no buraquinho e meteu primeiro um dedo rodopiando depois, tentando alargar. Apenas com um dedo, bem liubrifidado não senti qualquer dor e até era gostoso, pois continuava a dedilhar-me o clitóris. Depois meteu dois dedos com mais vaselina. Senti uma dorsinha embora gostosa. Já estava com tal tesão que eu própria pedi para tentat meter o membro bem luibrificado. Encostou apenas a cabecinha, roçando no buraquinho, era gostoso, empurrou mais e entrou a cabeça, senti realmente dores e gritei, padindo-lhe para tirar mas ele não tirou, ficando sem se mexer e segurando-me bem para eu não escapar. Passado algum tempo a dor passou, desejei mesmo que entrasse mais, começando a rebolar as ancas O meu marido, notando que eu estava gostando, meteu tudo: Gritei ainda com maior dor, mais uma vez pedi para tirar e mais uma vez o meu marido me segurou ficando novamente sem se mexer dentro de mim. Fui acostumando-me a sentir meu rabinho preenchido com o saco do meu marido a bater-me na coninha e os dedos dele acareciando-me não só o clitóris como também oa lábios vaginais. Deixei de sentir dores e teve inicio um vaivem tão gostoso que obtive um orgasmo logo na primeira vez que fui enrrabada. Não substituimos o sexo anal pelo vaginal, mas como passei a ter o rabinho mais dilatado é com frequencia que o utilizamos para variar, tudo isto graças ao seu relato, que agradecemos enviando dois beijos, um meu e outro do meu marido.

    ResponderExcluir
  11. Uma anónima16:29:00

    Bem gostava de exprimentar o sexo anal, mas ao ler estes comentários, os meus receios
    são enormes. Tenho medo de deixar o meu marido encostar o penis ao buraquinho e êle depois com a excitação não se conter e forçar a entrada

    ResponderExcluir
  12. Anónima12:40:00

    Tentei realmente fazer sexo anal mas não consegui aguentar. O meu marido começou por dilatar-me o rabinho com um dedo, utlizando oleo de bebé. Isso foi bastante gostoso, senti imenso prazer, estava excitadissima com sexo oral vaginal e com a lingua do meu marido deslizando mesmo até ao orificio do cuzinho, o que adorei, mas quando tentou meter dois dedos tive de pedir que parasse porque as dores eram muitas.Embora com essas dores e com a excitação ainda pedi para exprimentar meter o pénis, noentanto mesmo bem lubrificado só aguentei que entrasse a cabeça, as dores eram tão insuportáveis que dei um grande grito e pedi por tudo ao meu marido para tirar. Serei diferente da maioria das mulheres que afirmam ter imenso prazer com essa penetração? Poderá a Amante dar-me algumas dicas para eu possa aguentar? Bem gostava de praticar o sexo anal, mas receio que nunca irei conseguir.

    ResponderExcluir
  13. Uma esposa anónima20:48:00

    Para mater a virgindade "vaginal" até á minha noite de núpcias, que guardei para o meu marido, bem jovem comecei a fazer sexo apenas no trazeiro, até com o meu namorado, que veio a ser meu marido. porque alí, além de não ser notado, tão facilmente, que não se está virgem, como também é o facto de não engravidar. Por essa razão, quando o meu marido, ainda namorado, me penetrou pela primeira vez o cusinho, embora lhe pedisse para lubrificar bem e que entrasse devagar, "como se fosse a primeira vez", comigo a soltar alguns gritinhos", a verdade é que o pénis entrou sem dificuldade onde eu já estava habituada a obter o prazer do sexo. Presentemente, com 10 anos de casados, sempre que praticamos sexo. nenhum e nós dispensa o sexo anal.

    ResponderExcluir


Obrigada por chegar até aqui. Seu comentário será valioso para que eu receba através dele, a sua opinião, prova da nossa interação.

Este espaço aborda o erotismo e assuntos relacionados com a sexualidade, mas, não explora a pornografia.

Comentários ofensivos, discriminatórios e preconceituosos serão deletados, aqui prevalece a ética e o bom senso dos leitores.
Um beijo