, , , ,

Orgasmo feminino - masturbação

Masturbação Feminina - O Clitóris e sua Função

O clitóris, uma protuberância carnuda, é um órgão muito pequeno, não maior do que uma daquelas borrachas que vêm na ponta dos lápis. É um órgão que se localiza acima e adiante do orifício uretral, no ângulo mais anterior dos genitais externos, constituindo-se uma zona ultra-sensível para a mulher.
.

Região do  clitóris
Possui uma estrutura complexa, ou seja, a que aparece, a que se vê e se toca é apenas a parte externa. A maior parte fica escondida dentro da zona anterior e lateral da entrada da vagina, formando uma espécie de arco. Também contém tecidos esponjosos capazes de se encherem de sangue, glândulas e nervos. Aliás, são cerca de 6.000 as fibras nervosas que se concentram no clitóris e que acabam por tornar esse órgão altamente sensível aos diferentes tipos de estimulação. Durante a excitação, o clitóris enche-se de sangue, fazendo com que ele engrosse, endureça e fique num tom avermelhado.
Próximo ao orgasmo, o clitóris retrai-se e esconde-se sob o capuz (pele que cobre o clitóris), tornando a sair quando cessa a estimulação sexual. O clitóris é a fonte do prazer feminino, é o órgão que tem como função única e exclusiva a de proporcionar prazer sexual para a mulher.
Durante muito tempo acreditou-se que apenas a introdução do pênis na vagina e seus movimentos de vaivém eram suficientes para levar a mulher ao orgasmo. Alguns estudiosos da sexualidade humana, nas suas pesquisas, não deram tanta importância a esse aspecto, o que veio a causar sentimentos de frustração e inferioridade em inúmeras gerações de mulheres, que desconheciam a necessidade de uma manipulação mais direta no clitóris para obterem um maior prazer. Tal desconhecimento por parte de muitas mulheres, que não conseguem alcançar o orgasmo apenas com a introdução do pênis, ocorre até mesmo nos dias de hoje.
Foi com o sucesso do famoso relatório de Shere Hite que muitas questões ficaram esclarecidas. Diante de milhares de depoimentos femininos verificou-se que a mulher não depende apenas do coito em si, mas de manipulações especiais do clitóris, que podem ser obtidas de várias maneiras.
O clitóris é muito sensível e por isso nem sempre o toque direto é tido como agradável, principalmente se a mulher ainda não estiver excitada. Tocar suavemente o clitóris ou rodear com os dedos a parte externa da vagina e principalmente o seu teto (parte alta do arco) é fundamental para a excitação sexual, bem como para uma lubrificação adequada.
Não existem zonas erógenas importantes nas estruturas profundas, tanto vaginais quanto uterinas. Ou seja, um pênis grande (obsessão comum dos homens) é irrelevante para a satisfação da mulher. O importante no ato sexual, durante a penetração (e antes dela, é claro), é roçar e tocar as diferentes partes do clitóris. O corpo peniano e o golpear do púbis do homem contra o púbis da mulher colocam em intenso contato rítmico toda a entrada do canal vaginal, os grandes e pequenos lábios e a pequena parte do clitóris, que aparece na união dos dois lábios.
Existem vários tipos de clitóris, que vão desde os mais escondidos a outros que se vêem logo, uns mais para baixo e outros mais para cima. Diante desses aspectos anatómicos do clitóris é que há uma diferença clássica, isto é, as mulheres que possuem o clitóris mais para baixo têm mais facilidade de gozar só com o coito, porque no vaivém o pênis fricciona o clitóris, fazendo a mulher atingir o orgasmo. A dificuldade maior fica com as mulheres que possuem o clitóris mais para cima, pois nesse caso o pénis não consegue roçar no clitóris. A mulher pode então encostar-se o máximo possível no ventre do homem para friccionar o clitóris nele, ou manipulá-lo ela própria durante o sexo.


Para algumas mulheres pode ser difícil estimular o clitóris na frente de seu parceiro, por timidez ou constrangimento, ou por qualquer outro motivo, o que pode levar algumas delas a fingirem seus orgasmos, somente para não parecerem frias e não deixarem seus parceiros decepcionados, acarretando frustrações para suas vidas sexuais, pois não tendo o orgasmo que desejam, fingem e sentem-se mal enganando o seu parceiro.
O diálogo é sempre importante. Converse com o seu parceiro sobre como quer ser tocada, acariciada, mostre o­nde fica seu clitóris, ensine o toque, opine sobre posições. Enfim, use de um jogo aberto e veja como você vai ser mais feliz no sexo.
A masturbação em conjunto também pode ser altamente excitante, vendo o seu parceiro se masturbar e vice versa.
 
 .
Algumas considerações fisiológicas, padrão, uma vez que cada mulher pode ter reações próprias, na hora de um orgasmo. Entretanto, sob o ponto de vista orgânico, espera-se algumas reações corporais, que fazem com que o orgasmo feminino:
  • se inicia com fortes e rítmicas contrações involuntárias da plataforma orgástica (a terça parte externa da vagina) e do útero.
  • o rubor sexual atinge o seu ponto máximo (os lábios vaginais ficam intumescido e mudam de cor).
  • o clitóris fica ereto e sensível ao toque, colaborando para o prazer e a chegada do orgasmo.
  • é possível haver contrações involuntárias do esfíncter retal, o que leva, em algumas mulheres, a sensação de dores no ânus, após o orgasmo.
  • os batimentos cardíacos aceleram-se, a pressão sanguínea e o ritmo da respiração também chegam ao ponto máximo.
  • inicia-se a perda do controle muscular voluntário (em algumas mulheres pode-se observar a contração de grupos de músculos no rosto, nas mãos e nos pés.

O orgasmo feminino pode ser produzido pela estimulação clitoriana ou vaginal, ou por uma combinação de ambas. Essa estimulação pode se dar por auto-erotismo (masturbação), sexo oral, sexo com penetração vaginal, sexo anal, pelo uso de vibradores ou consolos). O orgasmo feminino NÃO é igual ao do homem. As mulheres podem gozar pela estimulação apenas do clitóris, pela estimulação da vagina (mais raro), pela estimulação de ambos e pela estimulação anal. Geralmente, após orgasmo, uma mulher pode gozar novamente, se for devidamente estimulada e se ela estiver com desejo. Ao contrário dos homens que precisam de um certo tempo para se recuperarem.

8 comentários:

  1. Deliciosa aula sobre a Boceta e suas manifestações!
    Aula importante, já q as meninas reclamam q os meninos nao sabem usar! Agora com manual de instrução fica mais facil!

    Em Fevereiro de 2008 o SeximaginariuM estreava na sexiblogosfera.
    Agradeço a VC que freqüentou, colaborou, escreveu, participou nesses DOIS ANOS!
    AH! TEM UM SELO LÁ PRA VC!
    BJSSS
    LEO

    ResponderExcluir
  2. Texto bastante esclarecedor sem duvida, mas convém lembrar os homens que antes de irem directos ao assunto e tocarem logo no clitoris o beijo e as caricias noutras partes do corpo tambem são importantes, os preliminares não é só minete :D
    Muito bom o texto
    bjs

    ResponderExcluir
  3. .

    Você chamou aquele clitóris de
    avantajado, como ser avantajado
    se ele é a conta da minha boca?

    silvioafonso





    .

    ResponderExcluir
  4. Um texto pra ler, aprender e colocar em prática.

    ResponderExcluir
  5. Grimaldo11:46:00

    Exelente o texto, pois a maioria dos Homens desconhecem a importancia do clitóris. É a chave de Venus, por isso me especializei em massagem tantrica.

    ResponderExcluir
  6. Anônimo12:19:00

    Gostei da maneira clara deste texto,vou indica-lo a alguns amigos,pq muitos homens.incluse algumas mulheres, nao sabem a importancia deste orgao no corpo e deixam de usa-lo numa relaçao o q é uma lastima;
    o goso clitoriano supera em muito uma relaçao completa;e pode acontecer até num cruzar de pernas....

    ResponderExcluir
  7. Pelo que sei, as mulheres que praticam o chamado vício solitário com frequência têm dificuldade em obter orgasmos com a penetração do pênis. É fácil constatar-se isso, bastando notar que as mulheres que nunca se masturbaram não têm esse problema.

    ResponderExcluir

  8. eucpaula128

    Pelo que eu sei a masturbação feminina ou masculina não é um “vício”, uma mulher que se descobre através da masturbação (assim como o homem), tem mais chances de descobrir seus mecanismos para alcançar um orgasmo satisfatório.
    A mulher que não se masturba pode ter uma libido fraca, ou vive reprimida por questões de educação focadas talvez na religião que reprime o onanismo, e na hora do sexo são experts em fingir o orgasmo.
    Uma mulher que adora sexo, procura explorar modos de fazê-lo de todas as formas possíveis.
    Essa modalidade de conceito já foi derrubado há mais de 50 anos e isso se chama “preconceito ou tabu”.

    Homens que pensam assim, tem por costume valorizar apenas seu membro como se fosse o único instrumento para o prazer, e pensam que sexo é apenas bater estaca no orifício feminino, desconhecendo outras formas para complementar a relação e se sentem frustrados com seu pênis.
    Um homem que desconhece a importância do órgão detonador do orgasmo, ou seja: o clitóris não pode ser um bom amante e, se ele ainda não descobriu que o sexo oral dá muuito, mas, muito prazer a mulher, melhor então ele fazer sexo consigo mesmo. Ou melhor, se masturbar pelo resto de sua vida.

    ResponderExcluir


Obrigada por chegar até aqui. Seu comentário será valioso para que eu receba através dele, a sua opinião, prova da nossa interação.

Este espaço aborda o erotismo e assuntos relacionados com a sexualidade, mas, não explora a pornografia.

Comentários ofensivos, discriminatórios e preconceituosos serão deletados, aqui prevalece a ética e o bom senso dos leitores.
Um beijo